Traduzir websites… E agora?

Traduzir websites… E agora?

A grande questão é: onde está o seu público-alvo?

Mais de metade da população mundial está ligada à internet e os números só tendem a crescer. Existem mais de 1,5 biliões de websites, o que fazer para o seu público-alvo aceder ao seu website especificamente?

“O meu público-alvo são estudantes italianos” – desta frase uma pessoa assume que quer traduzir o website para italiano, por exemplo. Mas já pensou qual o idioma que o seu público-alvo prefere? No norte de Itália, o alemão é a língua nativa de meio milhão de habitantes da região do Tirol do Sul. E se forem estudantes italianos, mas que preferem ler em alemão ou estudantes suíços dos cantões italianos?

Por conseguinte, a internacionalização do seu negócio não pode ficar por uma mera tradução do conteúdo online. O sucesso no mundo digital passa por adaptar a sua comunicação à cultura e ao estilo de vida do público-alvo. Até coisas que parecem simples, como datas, podem significar coisas diferentes. Por exemplo: 02-09-2018, é dois de setembro em Portugal, mas nove de fevereiro na América.

O seu objetivo deve ser fazer com que o consumidor se sinta em casa quando acede ao seu website: chega, senta-se no sofá, liga a televisão, vê um filme e fica satisfeito.

Para aceder a esse conforto não se pode esquecer de que é preciso ter as chaves certas para entrar em casa. Acontece o mesmo com o seu website, se não se preocupar em usar as palavras certas, ninguém o vai encontrar. Isto significa otimizar o website para ter os termos específicos que interessam ao seu público-alvo (SEO), ou seja, usar as mesmas palavras no website que o público-alvo digita no Google quando pesquisa.

Sofá 2.0

E agora está aconchegado no sofá e o comando da TV está avariado? Clica no 4 e o televisor muda para o canal 9, carrega no S+ e o som baixa.

Num website é igualmente incómodo clicar no botão “Home” e ir para a página “Blog” ou estar a ler um artigo que lhe interessa e deparar-se com uma imagem noutra língua.

Felizmente, é possível evitar estas pequenas falhas que minam a experiência do visitante. Dê acesso à versão offline do seu website à empresa de tradução, para que um nativo da língua verifique que todos os links funcionam e que todo o conteúdo está no sítio certo, ou até mesmo para verificar e corrigir eventuais erros de formatação que possam surgir após a tradução. Fazer o debugging linguístico e debugging funcional é um passo essencial para se certificar de que não lhe escapou nada e que o seu público-alvo se sente em casa quando navega no website.