Teste de localização… E agora?

Teste de localização… E agora?

Um teste de localização é um processo que verifica a personalização de um produto ao idioma e à localização geográfica do seu público-alvo. É realizado para assegurar que não há erros de tradução, que o conteúdo está corretamente organizado e que o produto funciona como esperado para o público-alvo escolhido.

Imagine que uma rede de transportes públicos quer expandir o negócio para um país de língua oficial espanhola e localizar a sua aplicação mobile da rede. Caso não especifique o país e a região pode acabar com um autocarro traduzido para autobús, bus, camión, colectivo ou ainda guagua! Todas estas opções estão corretas em espanhol, mas variam consoante a localização geográfica.

O teste de localização é uma prática comum para softwares: aplicações, videojogos, plataformas de e-learning, entre outros. O objetivo principal é assegurar que o software se comporta como esperado em diferentes contextos e idiomas.

Há alguns aspetos que têm de ser considerdos antes de se proceder a esta verificação:

O seu produto é global?

Globalizar o seu negócio é um passo muito grande e uma decisão a ser tomada com precaução. Pesquise sobre o país de destino, a cultura e os costumes e certifique-se de que o seu produto é localizável. Isto é, não vale a pena abrir um concessionário de limpa-neves em Lisboa, por exemplo, mas na Guarda pode ser uma boa opção. Especifique não só o país, mas a região do país para onde quer expandir.

Para que idioma quer traduzir?

Esta decisão está diretamente dependente do passo anterior. No mesmo país podem existir várias línguas oficiais e mesmo que só exista uma, como no caso de Portugal, as variações linguísticas variam de região para região.

O que é apurado?

A resposta correta seria, idealmente, tudo. Mas o que é que é tudo? Observe os dois formulários em baixo, um em português de Portugal (Lisboa) e outro em português do Brasil (Brasília), consegue perceber as diferenças?

O teste de localização é muito mais do que uma mera verificação da qualidade da tradução, é confirmar a adaptação total do software ao público-alvo. Especificações regionais como formatos de data, licenças ou até mesmo os significados das cores são coisas que têm de ser verificadas. Erros como estes são comuns em medidas ou moedas. Uma loja online, por exemplo, deve ter os preços nas várias moedas onde o site está localizado para proporcionar uma melhor experiência aos seus visitantes.

Depois de toda a parte escrita estar apurada, segue-se para a aparência. Modo geral, a mesma frase ocupa espaços diferentes nos diferentes idiomas e é importante verificar todo o layout e design do software. Além do espaço que o texto ocupa, é também necessário verificar toda a parte audiovisual quanto à qualidade da imagem, som e legendagem. Assim evita-se imagem ou vídeos com texto noutra língua que não a preferida do visitante.

Por fim, vem a parte funcional, ou seja, todas as hiperligações, formulários ou botões devem ser testados para confirmar se estão a abrir o destino pretendido. É essencial que os chamados CTA (Call to action) funcionem corretamente. Quando o visitante clicar em “Orçamento” ou “Comprar” deve conseguir facilmente o que pretende. Não se pode perder uma venda por um link estar errado. Até um campo de código postal de preenchimento obrigatório pode tornar-se um entrave a uma venda caso não permita o número de dígitos necessário – por exemplo, em França o código postal tem cinco dígitos e em portugal tem sete.

Este processo é complexo e deve ser feito por uma empresa especializada. Opte por uma empresa que já tenha algum portfólio no seu ramo de atuação e, assim, certifica-se de que nada fica por testar.