Quando a língua não é uma barreira para o português

Quando a língua não é uma barreira para o português

Já o ditado diz “longe da vista, perto do coração”. Embora a distância das pessoas de quem gostamos é cada vez mais curta com toda a tecnologia, não há nada como chegar o Natal e reunir toda família à mesa para a consoada.

Os emigrantes são um exemplo incrível de adaptabilidade linguística. Com eles surge uma panóplia de expressões e reformulações novas, uma mistura linguística que demonstra como as línguas são organismos vivos ao serviço da partilha e, neste caso, prova do famoso desenrascar português.

Para o português que se preza, não existe barreira comunicacional impossível de superar, no fundo, todos temos aquela mania de “dar uns toques” em línguas estrangeiras, seja portuñol ou portinglês.

Como é o caso da prima enfermeira a trabalhar no Reino-Unido que começa a falar em “adição” no sentido de vícios ou a amiga que foi para Madrid passar a falar em “carretera” em vez de estrada ou ainda a famosa “retraite” no lugar de “reforma”.

Porque nesta quadra a língua aproxima países, une pessoas e quebra barreiras, a L10N deseja-lhe um Natal cheio de alegrias, amor e claro… muita comida!