Próxima paragem: Macau

Próxima paragem: Macau

Uma viagem pelos países lusófonos

Ao longo de uma série de artigos, a L10N Making Translation Invisible vai transportá-lo até ao Mundo da Lusofonia. Conheça os costumes, as características únicas destes países e (re)descubra um universo de diversidade e multiculturalismo, unido por um dos elos mais poderosos que pode existir – a língua portuguesa!

Adivinhe onde chegamos!

Exatamente… Macau.

A Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China, conhecida simplesmente por Macau, fica situada na costa meridional da República Popular da China e tem aproximadamente 538 mil habitantes.

A economia macaense é extremamente atrativa, baseando-se nas indústrias do jogo e do turismo, e contando também com produção relevante nas indústrias têxtil, de fogo-de-artifício, brinquedos, produtos eletrónicos, construção civil e flores artificiais.

Por ter sido um importante entreposto comercial no passado, Macau conta hoje com uma grande variedade de culturas e costumes, onde vivem em harmonia várias religiões e etnias. Este facto contribui também para que seja extremamente rico em termos culturais. Destaca-se a culinária, influenciada pelas culturas chinesa, indiana e portuguesa, e a arquitetura de influência chinesa (templo de A-Ma) e portuguesa (fachada da Catedral de São Paulo) que coexistem com a identidade própria característica dos macaenses.

No séc. XVI, os navegadores portugueses estabeleceram-se na região com o intuito de criar um entreposto comercial que fizesse a ligação entre a China, o Japão e a Europa. Em 1976, e na sequência de um motim ocorrido em Macau em 1966, Portugal e a China chegaram a acordo relativamente à transferência da soberania, passando Macau a ser definido como Território Chinês Sob Administração Portuguesa. Hoje em dia, Macau continua a usufruir de grande autonomia administrativa, sendo governada pelo lema “Um país, dois sistemas.”.

O português de Macau

Os dois idiomas oficiais de Macau são português e chinês, no entanto a língua mais falada pelos habitantes é cantonês (um dialeto de chinês). Existe ainda um dialeto crioulo de base portuguesa, denominado Patuá macaense.

José dos Santos Ferreira foi um poeta defensor de Patuá macaense e foi um dos poucos escritores de Macau a utilizar este crioulo nas suas obras.

Excerto do poema Áno Vêlo, Áno Nôvo:

“Unga áno intremente ta sai,

Lôgomente otrunga ta goelá.

Áno vêlo ta virá costa vai,

Áno nôvo qui azinha ta intrá.”

Embora a língua portuguesa tenha caído em desuso por parte da população em Macau, especialmente após 1999, está ainda presente em praticamente todos os órgãos oficiais e tem-se feito uma aposta considerável no seu ensino e na sua manutenção. Listamos em baixo algumas das características mais relevantes e únicas da variante de português de Macau:

O tema das diferenças entre a variante de português de Macau e português de Portugal é extenso, podendo ocupar muitas mais linhas e reunir muitas mais opiniões e perspetivas, mas deixamos-lhe o essencial.

 

Na L10N, somos especialistas nas particularidades das variantes das línguas e é por isso que contamos com uma equipa composta por linguistas nativos macaenses, daí surge o significado do nosso nome, L10N – Localização.

Boas conversas (em português)!