Quando e como usar CC e BCC em e-mails?

Quando e como usar CC e BCC em e-mails?

Lembra-se daquela vez em que o seu colega passou duas horas inteiras a enviar o mesmo e-mail de “Boas Festas” a cada cliente da empresa porque não queria que os clientes soubessem a quem se tinha enviado? Pois bem, foram duas horas perdidas… Muitas vezes, as opções CC e BCC em e-mails não são bem aproveitadas por desconhecimento de como funcionam. Por isso, é útil perceber o que significam para saber em que situações as devemos utilizar.

 

 

CC

É a abreviatura de Carbon Copy, mas também é utilizado como Courtesy Copy ou, em português, Cópia de Cortesia/Conhecimento.

Ao colocarmos destinatários em CC, estes vão:

  • receber uma cópia idêntica do e-mail que enviamos;
  • ser visíveis para todas as pessoas que recebem o e-mail.

Este tipo de comunicação é ideal em projetos com vários participantes ativos ou em discussões com vários intervenientes.

Se for, por exemplo, o/a responsável por satisfazer um determinado pedido de um cliente, que ficou de contactá-lo(a) às 10h00. No entanto às 10h30, o cliente ainda não o/a contactou e tem outro compromisso às 10h35  pode:

  • enviar um e-mail ao seu cliente a explicar que não estará presente nos próximos momentos, mas que, se for necessário, o seu colega terá todo o gosto em ajudar no que for preciso;
  • coloca o endereço eletrónico do seu colega em CC e envia o e-mail.

Neste caso, embora o seu colega não seja uma das duas partes principais da comunicação, está agora a par da situação e pronto a intervir se necessário. O mesmo se passa com o cliente, que sabe que existe uma terceira parte com quem pode contar, se necessário.

BCC

Por sua vez, BBC é a abreviatura de Blind Carbon Copy ou, em português, Cópia Oculta. Os destinatários que recebem um e-mail enviado com o endereço em BCC conseguem ver todo o conteúdo do e-mail, o assunto, mas nenhum consegue ver outros destinatários em BCC. Este tipo de comunicação é ideal para quando não se pretenda que exista comunicação entre destinatários, mas apenas entre o remetente e cada destinatário individualmente. Poderá ser utilizado em projetos com várias partes interessadas, mas não intervenientes, newsletters, etc.

Este é o segredo para não perder duas horas a enviar postais de “Boas Festas!”.

 

Boas comunicações!